Governo cria fundo de R$ 4 bilhões para modernização de cidades e reabilitação urbana

Redação – 19.09.2019 –

Programa Pró-Cidades aloca valor para financiamentos até 2022

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) oficializou o programa, disponibilizando R$ 4 bilhões para projetos até 2022, com foco em reabilitação de áreas urbanas e modernização tecnológica urbana. Sete propostas já foram enquadradas e estão em avaliação pelos bancos associados à iniciativa, somando R$ 170,6 milhões. Outros 10 projetos estão em análise. Os recursos são oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Uma das proposições vem de Volta Redonda (RJ) e prevê R$ 41,6 milhões para a modernização do sistema de iluminação do município. As luminárias de vários bairros serão trocadas por outras com tecnologia de reconhecimento de movimentação. A ideia é reduzir os gastos municipais com energia elétrica. Já a Prefeitura de Campo Grande (MS) busca o recurso de R$ 29 milhões para investimentos em telecomunicações e na ampliação do acesso à internet na capital sul-mato-grossense. Além disso, os recursos também servirão para a instrumentalização do monitoramento ambiental na cidade e reforço das capacidades técnicas.

Além desta proposta de modernização tecnológica para a Prefeitura de Campo Grande, existem mais duas propostas de Reabilitação de áreas Urbanas, sendo uma de requalificação da área pública do Terminal Rodoviário de Campo Grande (Terminal Rodoviário Heitor Eduardo Laburu). A outra visa a criação do ‘Corredor Gastronômico, Turístico e Cultural de Campo Grande’, no trecho da Avenida Bom Pastor, totalizando R$ 46,8 milhões.

Também já tiveram seus projetos enquadrados os municípios de Teresina (PI), no valor de R$ 45,6 milhões; Lauro Miller (SC), R$ 1,1 milhão; e Urupema, R$ 6,2 milhões. Atualmente, outros 10 projetos que fazem parte do programa foram apresentados ao MDR e estão em análise. As iniciativas contemplam os municípios de São Cristóvão (SE), São Paulo (SP), Campos dos Goytacazes (RJ), Butiá (RS), Aracaju (SE) e Morro da Fumaça (SC) com investimentos totais estimados em R$ 2,4 bilhões.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *