Internet das Coisas otimiza operação de navios de suporte para óleo e gás

Redação – 10.10.2019 –

A Sapura adotou solução de internet das coisas para monitorar a operação de seus seis navios de serviços submarinos. Eles são utilizados como apoio, instalação e lançamento de dutos flexíveis para o mercado de óleo e gás. A tecnologia, de propriedade da norte-americana Splunk, foi instalada pela também multinacional Econocom, que comemora o seu primeiro projeto de IoT para o mercado brasileiro de óleo e gás.

“Precisávamos ter visibilidade da execução dos projetos para garantir a excelência operacional de nossa frota”, explica Rogerio Salbego, CEO da Sapura. Segundo ele, o acompanhamento de dados sobre o que acontece a bordo tornou as tomadas de decisão mais eficazes e ampliou a segurança dos trabalhadores. “A nossa atividade exige uma interação muito próxima a equipamentos pesados, que podem causar grandes danos se não forem perfeitamente manuseados. Usamos a tecnologia para diminuir a exposição da tripulação ao risco, controlando o uso e redefinindo treinamentos”, completa Ricardo Bicudo, CTO da Sapura.

O projeto de IoT engloba quase 10 mil sensores instalados em equipamentos, gerando imagens por câmeras e cruzando conteúdos de bancos de dados, planilhas e sensores. Os dados são transmitidos via satélite até o escritório da Sapura, no centro do Rio de Janeiro. “Com um sistema de alertas e a organização do tráfego, a empresa passou a ter maior controle sobre a rede, utilizando de forma mais racional, os recursos da banda”, diz Alex Camargo, diretor de projetos e consultoria da Econocom.

Além do acompanhamento em tempo real, a Sapura tem acesso mais rápido a cada dado das operações depois que os projetos são realizados. “Antes da implantação do Splunk, a empresa levava uma semana para compilar e gerar os painéis de performance das operações. Agora, o tempo foi reduzido para um dia”, conclui Ricardo Bicudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *