Lucro líquido da Iguá Saneamento cresce 148% no primeiro trimestre

Redação – 28.05.2020 –

A Iguá Saneamento encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 10,788 milhões. Isso representa alta de 148% em relação ao mesmo período de 2019. Para a empresa, o resultado reflete a evolução do seu desempenho operacional, que teve aumento no volume faturado de água e esgoto, elevação no controle de perdas e redução em custos e despesas.

“A disseminação do novo coronavírus teve um impacto na rotina das pessoas a partir da segunda quinzena de março. Vínhamos de uma expansão no número de ligações de água e esgoto, especialmente no Mato Grosso, e de ganhos de eficiência. Assim que as restrições de circulação aumentaram, adaptamos as nossas operações para garantir o atendimento a distância, reforçamos o diálogo com os clientes e mantivemos ativas nossas equipes em campo. Essas medidas de gestão, aliadas à importância fundamental do saneamento para a saúde das famílias, vêm tornando a companhia resiliente na crise”, explica Gustavo Guimarães, presidente da Iguá Saneamento.

O Ebitda ajustado da empresa no trimestre – que indica o resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização, e excluindo as receitas e despesas não recorrentes – cresceu 8,9% frente a igual período do ano passado, atingindo R$ 58,6 milhões. Desconsiderados outros efeitos ocasionados pela aplicação de normas do IFRS e com a consolidação integral das empresas do grupo que possuem acionista minoritário ou controle compartilhado, o Ebitda chega a R$ 73,5 milhões, uma alta de 15,5% na comparação anual.

A receita operacional líquida da Iguá atingiu R$ 205,0 milhões no período, ante R$ 215,8 milhões verificados nos três primeiros meses de 2019. A receita de saneamento e outros serviços, principal escopo das operações do grupo, cresceu 25% na comparação anual, somando R$ 155,4 milhões. Os investimentos realizados pela companhia no trimestre representaram um montante de R$ 52 milhões.

Os custos e despesas totais da empresa apresentaram redução de R$ 15,5 milhões de janeiro a março, uma variação de -9,6% em relação a igual trimestre de 2019.

A Iguá manteve seu perfil de endividamento no longo prazo, sendo que 83% das suas dívidas tem vencimento superior a um ano. No primeiro trimestre, a dívida bruta da empresa, em R$ 1,261 bilhão, caiu 5,7% no comparativo anual.

Desempenho operacional
Com 18 operações, o volume total faturado de água pela companhia no primeiro trimestre registrou aumento de 3,9%, atingindo a marca de 20,7 mil m3. Já o volume faturado de esgoto apresentou elevação de 13,9%, passando de 8,6 mil m3 entre janeiro e março de 2019 para 9,9 mil m3 no mesmo período deste ano. Além disso, com a implementação de projetos de controle de perdas, o índice de água não faturada recuou para 39,9%.

A inadimplência  também caiu. O indicador de atraso superior a 180 dias, considerando a média móvel de 12 meses, mostrou queda de 0,4 ponto percentual no comparativo entre os primeiros meses de 2019 e de 2020. Ou seja, ele passou de 5,4% para 5,0%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *