Marcopolo e Moovit devem ofertar Mobilidade como Serviço

Redação – 09.10.2020 –

A divisão de novos negócios da Marcopolo (Marcopolo Next) começará a oferecer soluções tecnológicas de Mobilidade como Serviço (MaaS, da sigla em inglês). Para isso, a empesa firmou parceria com a Moovit e a intenção é criar alternativas para a operação do transportes coletivo.

“O efeito da pandemia sobre o transporte coletivo trouxe muitas oportunidades para repensarmos os sistemas de mobilidade, que demandarão uma abordagem mais racional e inteligente das rotas, além da integração física e tecnológica dos modais alimentadores aos de alta capacidade” diz Petras Amaral Santos, business head da Marcopolo Next. “As tendências de deslocamento das pessoas dentro das cidades têm apresentado mudanças de padrão, demonstrando a necessidade de soluções mais dinâmicas desde o ponto A para o B (o chamado Last Mile). As pessoas querem ir para onde quiserem e quando quiserem”, completa.

“A missão do Moovit é simplificar a mobilidade urbana em todo mundo, tornando-a mais acessível, segura e confiável. É essencial encontrar parceiros como a Marcopolo, que compartilham esta visão e que estejam dispostos a usar a tecnologia para melhorar a qualidade de vidas das pessoas. Vemos esta parceria como um importante primeiro passo para trazer novas soluções desenvolvidas pelo Moovit para a América Latina”, prevê Nir Erez, CEO e um dos fundadores do Moovit.

A abordagem da Marcopolo Next com o Moovit envolverá uma consultoria para o diagnóstico dos sistemas de mobilidade para então serem propostas soluções ligadas ao conceito de Mobilidade como Serviço às cidades brasileiras. Entre estas soluções estarão tecnologias de integração dos modais, além de Transporte Sob Demanda (TOD) combinadas com o material rodante.

Pelo conceito do Transporte Sob Demanda (TOD), os veículos são solicitados pelos passageiros por meio de um aplicativo com tecnologia do Moovit, semelhante ao que ocorre com os aplicativos de carros. Neste caso, as viagens de ônibus podem ficar mais rápidas e convenientes, já que o motorista segue o app e flexibiliza a rota. Os veículos em operação também podem ser menores que os tradicionais, mais adequados para circularem por ruas alternativas às das linhas convencionais. O TOD é uma opção complementar aos sistemas de alta capacidade e às linhas regulares, portanto não concorre com estes.

“Por este sistema, a oferta do transporte coletivo se ajusta à demanda, ao contrário do que ocorre atualmente, em que os passageiros precisam se ajustar à oferta”, observa Amaral. “Para as empresas transportadoras, a grande vantagem está na flexibilidade de ajustar a circulação dos ônibus de acordo com o aumento ou a queda de demanda, evitando que os veículos circulem vazios ou não consigam atender todos os passageiros como, por exemplo, na saída de eventos”, complementa.

“A solução também permite maior controle de acesso e lotação dos veículos, um elemento importante para reforçar o distanciamento social. A operação é gerenciada por uma plataforma simples, acessível de qualquer lugar, onde é possível visualizar a localização e o status de toda a frota. A implementação é realizada em poucos dias, utilizando uma tecnologia leve, porém robusta, que utiliza dados do repositório do Moovit, o mais completo do mundo, para encontrar a rota mais eficiente”, detalha Erez.

A transportadora também poderá definir o público-alvo, rota fixa ou flexível, tarifa fixa ou dinâmica, entre outros fatores. Além disso, é possível operar com um mix de veículos de tamanhos diferentes.

O modelo deste tipo de operação é definido e regulamentado pelas prefeituras. Desta forma, Marcopolo Next e Moovit desenvolverão laboratórios de mobilidade (Mobility Labs) junto a administrações municipais e operadores para testar o conceito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *