Mercedes-Benz anuncia investimento de R$ 2,4 bi e anima setor

Da Redação – 10.10.2017 –

Montadora confirma prognóstico positivo para o setor automotivo, que deve crescer neste ano e receber mais de R$ 15 bilhões em aportes até 2022.

A Mercedes-Benz confirmou nesta semana que irá investir R$ 2,4 bilhões na produção de veículos comerciais (caminhões e ônibus) nos próximos cinco anos (2018-2022). O aporte deve modernizar as fábricas de São Bernardo do Campo e Juiz de Fora, elevando as produções para o conceito de indústria 4.0. Nesse montante estão também os planos de upgrade e desenvolvimento de produtos e tecnologias.

“Este novo aporte tem como principal objetivo preparar a Empresa para atender às demandas futuras dos clientes, garantindo rentabilidade aos seus negócios, seja por meio de produtos atualizados à realidade do transporte, de fábricas totalmente modernizadas e mais competitivas, como também através de novas tecnologias de serviços e de conectividade de última geração”, diz Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina.

Atualmente, segundo ele, está sendo aplicado um investimento de R$ 730 milhões, que vai até o ano que vem, para modernização das duas fábricas, sendo R$ 500 milhões em São Bernardo do Campo e R$ 230 mi na planta de Juiz de Fora (MG).

Outros R$ 70 milhões estão sendo investidos na construção do Campo de Provas de caminhões e ônibus na cidade de Iracemápolis (SP), que deve ser inaugurado no primeiro semestre de 2018. “Com esses novos investimentos, a empresa se prepara para a esperada recuperação do mercado brasileiro que, apesar de ainda lenta e dos baixos volumes de vendas, tem forte potencial futuro para os negócios de veículos comerciais. Acreditamos também na evolução do mercado externo, que tem realizado renovação e ampliação de frota com produtos Mercedes-Benz fabricados no Brasil”, diz Schiemer.

O setor automotivo, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), já experimentará crescimento neste ano, apesar de ainda estar aquém do pico registrado em 2013, quando foram vendidos 3,7 milhões de veículos, entre automóveis, ônibus e caminhões.

Entre 2013 e 2016 houve queda de 42%, chegando no ano passado a 2,2 milhões de veículos comercializados. Neste ano, a expectativa é de venda de 2,7 milhões de unidades, o que explica o ânimo de várias montadoras, além da Mercedes-Benz.

Reportagem publicada hoje pelo jornal Folha de São Paulo, por exemplo, contabiliza aporte superior a R$ 15 bilhões no setor. A General Motors seria responsável por R$ 4,5 bi desse montante, a serem investidos nas fábricas de São Caetano do Sul (SP), Gravataí (RS) e Joinville (SC).

A Volkswagen promete R$ 2,6 bi aplicados no desenvolvimento de um novo parque fabril e na sua unidade de Anchieta (ES), enquanto a Scania planeja investir os mesmos R$ 2,6 bilhões no desenvolvimento de produtos e na modernização da fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

O restante dos investimentos deve ser feitos pela Toyota e Volvo – R$ 1 bilhão cada uma – e pela Renault e Man, R$ 75 milhões e R$ 19 milhões, respectivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *