ONU prevê El Nino mais forte em 2016

Da Redação – 29.01.2016 – 

Programa de Meio Ambiente da ONU estima que pelo menos 60 milhões de pessoas estão ameaçadas em países em desenvolvimento, inclusive na América Latina. Instituição alerta para necessidade de infraestrutura de saneamento.

Um relatório da ONU, mais especificamente da UNEP, divisão que acompanha os programas de meio-ambiente da instituição, aponta que os efeitos do El Nino envolvem ameaças a mais de 60 milhões de pessoas. O evento natural muda os padrões de temperatura e de chuva em muitas partes do mundo, com maior intensidade nas áreas tropicais da África, da região da Ásia Pacífico e da América Latina. Para Richard Brennan, diretor do Departamento de Resposta Humanitária e Gerenciamento de Risco Emergencial do World Health Organization (WHO), os governos devem reforçar seus esforços para responder às demandas geradas pelas mudanças climáticas. O atua El Nino (2015/16) está sendo apontado pela ONU como mais severo do que o de 1997/98, que foi o que apresentou as maiores consequências em nível mundial.

No caso da América Central, a ONU aponta para o perigo da seca, que deve se estender pelo segundo semestre desse ano, afetando pelo menos 4,2 milhões de pessoas. No Paraguai, as recentes inundações levaram a evacuação de mais de 100 mil pessoas e o cenário fica difícil para outros países da América do Sul. Há previsão de fortes inundações no Peru, Equador e Bolívia. Entre as medidas convencionais como vacinação mais intensa, a ONU recomenda a melhoria nos serviços de água e saneamento básico, além da coordenação maior dos recursos governamentais.

De acordo com o portal Conservation Gateway, as inundações são o desastre natural mais impactantes em nível mundial, causando prejuízos superiores a US$ 40 bilhões por ano (dados de 2006).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *