Operações no Porto de Suape ganham sistema de gestão e controle que reduz custos operacionais

Redação – 01.06.2020 –

A Engecampo Industrial e a Petrobras adotaram tecnologia desenvolvida pela startup brasileira NavalPort para melhorar a gestão e segurança de navios no Porto de Suape, em Pernambuco. A solução visa ampliar a eficiência nos processos de manobras e gerar economia para as contratantes.

Segundo o CEO da NavalPort, Marcos Santiago, a tecnologia monitora, por meio de sensores, as embarcações no mar desde o planejamento até a chegada ao porto, incluindo o tempo de aproximação, estadia e manobra. “Amplia toda a gestão do fluxo, o que é fundamental, especialmente no caso de petroleiros, em que o nível de segurança precisa ser mais elevado. Além disso, a plataforma agrega funcionalidades de inteligência que auxiliam na redução do tempo de permanência da embarcação no Porto, que é a parte mais cara de todo o processo de navegação”, detalha.

Ele explica que o sistema reduz a chance da realização de obras estruturais prematuras no Porto de Suape, podendo aumentar a vida útil da estrutura de cais em cerca de 10 anos. Cada obra do tipo custa entre R$ 10 milhões e R$ 15 milhões, segundo o executivo. “Isso porque, até agora, não há nenhum controle. Então, diversas manobras ocorrem com a velocidade de toque ligeiramente acima dos limites estipulados para o berço, acumulando microdanos estruturais que comprometem a vida útil de toda estrutura”, argumenta.

A Petrobras poderá gerar uma redução de até US$ 10 mil nos custos globais de toda a cadeia para cada 30 minutos que forem reduzidos na estadia (tempo de espera por uma vaga), conforme dados do Porto de Roterdã, na Holanda. “A ideia é que a nossa plataforma possa integrar todos os players envolvidos e agilizar o processo de estadia em uma a duas horas em 12 meses”, diz Santiago. Ele reforça que a ferramenta desenvolvida é definitiva e, portanto, está pronta para ser implantada em outros terminais e para monitoramento de todo tipo de navio, como cruzeiros, transporte de grãos e outros.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *