Programa de concessão de rodovias supera a marca de R$ 110 bilhões em investimentos

Redação – 03.07.2019 –

Números se referem ao estado de São Paulo e fazem parte do balanço dos 21 anos do programa de concessão

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) acaba de divulgar o balanço das duas décadas do programa paulista de concessão de rodovias: R$ 110 bilhões em investimento ao longo de 21 anos. O volume foi aplicado pelo setor privado nas estradas concedidas em obras, operação e manutenção dos 8,4 mil km de estradas sob concessão.

De acordo com a Artesp, que fiscaliza as concessões, antes do programa, as estradas de São Paulo recebiam um investimento mais moderado, que ficava a cargo dos cofres públicos. De 1995 a 1998, por exemplo, o estado investiu R$ 6,3 bilhões na ampliação e manutenção da malha viária sob gestão do DER. A partir do início das concessões, o valor subiu para R$ 21,1 bilhão a cada quadriênio, totalizando R$ 111 bilhões em obras, manutenção e operação de rodovias.

Os recursos foram usados na implantação de 647 quilômetros de novas pistas, contornos e prolongamentos; 1.254 quilômetros de duplicações, o equivalente a 14,92% de toda a malha concedida. Também foram recapeados 14.725 quilômetros e construídos 329 quilômetros de vias marginais, além de 1.751 quilômetros de faixas adicionais. As rodovias paulistas ganharam 1.220 quilômetros de novos acostamentos, 52 pontes e viadutos e 206 passarelas.

O programa de concessões também deixou as rodovias mais seguras, segundo a Artesp, oferecendo 51 novos postos SAU – Serviço de Atendimento ao Usuário e 113 bases operacionais. Também oferece apoio com 157 ambulâncias e 214 guinchos, que estão 24 horas à disposição dos usuários. Em caso de acidente ou pane mecânica, todos os motoristas têm o direito de utilizar, gratuitamente, os serviços disponibilizados pelas concessionárias.

Atualmente estão em andamento obras em diversas rodovias que totalizam mais de R$ 1 bilhão de investimento e geração de de postos de trabalho. São duplicações, implantação de vias marginais, dispositivos e outras melhorias. Um bom exemplo desse movimento é a remodelação da entrada de Santos, que vai separar o intenso fluxo de caminhões dos veículos de passeio que chegam à Baixada.

Outra obra significativa é a duplicação da serra da Rodovia dos Tamoios, que está sendo viabilizada por meio de Parceria Público Privada, com investimento de R$ 2,8 bilhões. Iniciada em dezembro/15, a obra, quando concluída, oferecerá 21,6 quilômetros de novas pistas, sendo 12,6 quilômetros divididos em cinco túneis. O maior deles, com 5,5 quilômetros, será o mais extenso do Brasil. Também fazem parte do projeto nove viadutos, uma ponte e um pontilhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *