Projeto Vermelho de produção de níquel e cobalto inicia fase de estudo ambiental

Redação – 06.05.2021 –

Multinacional Ramboll será responsável pelo estudo e relatório. Projeto vai suprir minério para bateria de veículos elétricos

A Horizonte Minerals continua o desenvolvimento do Projeto Vermelho de produção de níquel cobalto no Pará. A operação deverá suprir o mercado de baterias para veículos elétricos, com a mina localizada em Canaã dos Carajás, região rica nos dois minérios. A Ramboll Brasil, braço nacional da multinacional focada consultoria ambiental, será a responsável pelo contrato para a preparação do Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-RIMA).

Segundo a Horizonte Minerals, em comunicado oficial, a escolha da Ramboll elevará o Vermelho’ aos mais altos padrões das práticas de sustentabilidade. “Nosso compromisso vem em momento oportuno para apoiar a expansão desse cobalto. Estamos preparados para agregar governança, segurança, responsabilidade e rentabilidade às operações da Horizonte”, conclui o informativo.

A parceria entre Horizonte e Ramboll chega em momento certo para atender às demandas do mercado. O Vermelho é um projeto de classe 1 de níquel-cobalto, concebido para iniciar sua produção em um ponto crítico do mercado de níquel, quando haverá um déficit de fornecimento no setor de baterias.

O escopo do trabalho prevê igualmente avaliações de impacto social e ambiental em conformidade com os Padrões de Desempenho da Corporação Financeira Internacional (International Finance Corporation, IFC) e os Princípios do Equador.

As atividades da Ramboll contemplarão, de maneira integrada, o atual contexto físico, biológico e social, também levando em consideração a disponibilidade e qualidade da água, um estudo de linha de base de ar e ruído, qualidade do solo, inventário de flora e fauna, considerações socioeconômicas, saúde e segurança na comunidade, reassentamento e patrimônio cultural.

O Estudo de Impacto Ambiental e Social é fundamental para o processo de licenciamento ambiental do ‘Projeto Vermelho’ e deverá subsidiar a concessão de Licença Prévia, que poderá ser emitida pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará (SEMAS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *