Renovação de concessão pode trazer R$ 25 bi em investimentos em ferrovias

04Redação – 06.02.2019 –

Avaliação é da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) e seria o maior movimento do setor desde 1990

O processo de concessão de ferrovias de carga, iniciado no começo dos anos 90 do século passado, vai ganhar um novo capítulo com as renovações previstas pela Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT). O cronograma da ANTT prevê audiências públicas da MRS e da FCA ainda nesse bimestre. No período, a agência deve entregar os relatórios de duas audiências já realizadas: EFC e EFVM. E, se as renovações avançarem, o que isso significa?

Para a Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF), a renovação antecipada das concessões de cinco ferrovias de carga prevê que sejam investidos R$ 25 bilhões em cinco anos. “Isso significará inúmeras obras voltadas para a expansão da capacidade da malha, por meio de duplicações de vias, contornos, além da construção e ampliação de pátios e terminais, e a consequente elevação do volume de carga transportada e o aumento das exportações brasileiras”, diz o documento oficial da ANTF.

Concessionárias poderão comprar cerca de 715 locomotivas e mais de 8,5 mil vagões

Os investimentos impactarão a cadeia de fornecedores do setor. Apenas em material rodante, a ANTF estima a aquisição de 715 locomotivas e 8.580 vagões nos primeiros anos pós-assinatura dos termos aditivos contratuais. De acordo com o presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), Vicente Abate, as empresas têm capacidade instalada para fabricação de 12.000 vagões de carga e 250 locomotivas anualmente no país.

Só para lembrar: nesse mês serão abertos os prazos para as audiências públicas que debatem os processos da MRS Logística e da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), operada pela VLI Logística. Três ferrovias já tiveram audiências públicas: Rumo Malha Paulista, Estrada de Ferro Carajás (EFC) e Estrada de Ferro Vitória a Minas, sendo que as duas últimas, operadas pela Vale, devem ter divulgados ainda neste bimestre os relatórios finais sobre as contribuições das audiências públicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *