RJ lança licitação para PPP de carros elétricos compartilhados

Da Redação – 11.05.2016 – 

Contrato demandará investimentos de até R$ 19,3 milhões, aplicados em 50 estações de recarga, 100 carros elétricos e 200 vagas de estacionamento.

A Prefeitura do Rio de Janeiro lançou, nesta semana, uma licitação para empresas que tenham interesse em disputar o contrato para instalação de um novo sistema de mobilidade para a cidade: o compartilhamento de carros elétricos. O projeto, que visa reduzir o uso privado de veículos e emissão de carbono na atmosfera, contemplará 13 bairros cariocas, responsáveis por mais de 50% dos descolamentos diários da cidade.

Com previsão de ser finalizado até o final de 2016, o sistema será composto, incialmente, por 50 estações de recarga, 100 automóveis elétricos e 200 vagas de estacionamento espalhadas pelas regiões do Centro, Cosme Velho, Cidade Nova, Glória, Leblon, Laranjeiras, Botafogo, Urca, Catete, Copacabana, Leme, Flamengo e Ipanema.

Espelhado em serviços similares de cidades internacionais como Paris, Londres e Milão, a expectativa é que o sistema permita a realização de mais 700 viagens diárias, cada uma com 30 minutos de duração. O custo por viagem previsto pela Prefeitura é de R$ 18,00 e, caso precise de mais tempo, o usuário poderá continuar com o veículo, desde que pague os minutos adicionais.

Para que o projeto não consuma recursos da Prefeitura, a empresa selecionada na licitação deverá pagar uma outorga mínima de R$ 1,5 milhões ao município pelos cinco anos de contrato. Por outro lado, a empresa vencedora poderá cobrar tarifas dos usuários e explorar patrocínios. “A futura concessionária vai realizar um investimento estimado de aproximadamente R$ 19,3 milhões e poderá, na medida em que houver demanda, não apenas manter o esquema operacional mínimo, mas também ampliar o número de carros e estações de recarga”, explica Rodrigo Reis, sócio da Radar PPP que, em conjunto com as consultorias PwC, Albino Advogados e IDOM, liderou o consórcio responsável por desenvolver os estudos de viabilidade do projeto.

Com prazo máximo de seis meses para a implementar toda a operação, a empresa ou consórcio selecionado terá de comprovar experiência anterior na gestão de sistemas de locação de modais de transporte. Após o trâmite, ela poderá escolher os carros elétricos que irão compor a frota do projeto, desde que sejam autorizados a circular pelo munícipio.

Os interessados poderão se habilitar a concorrer a licitação até o dia 30 deste mês, apresentando uma proposta no Centro Administrativo São Sebastião (Cass), na Cidade Nova.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *