Startup brasileira cria solução de IoT para monitorar pacientes com Covid-19 e aliviar demanda hospitalar

Redação – 15.05.2020 –

Uma tecnologia de monitoramento baseado em Internet das Coisas (IoT) pode aliviar a demanda hospitalar durante a crise provocada pela pandemia da Covid-19. Desenvolvida pela startup paulista Biologix, a solução será testada por dois hospitais privados e está focada no controle de pacientes com sintomas brandos da doença. A ideia é evitar que eles sejam encaminhados desnecessariamente ao hospital, aliviando o fluxo de atendimento.

Com a tecnologia é possível diagnosticar e monitorar apneia do sono em ambiente domiciliar. O monitoramento permite o alerta em caso de piora nos sinais clínicos. A diferença da solução para outras existentes é que ela está baseada em dados objetivos, coletados via sensores, e não pelo depoimento subjetivo dos pacientes.

O sensoriamento é feito pelo sistema composto por um sensor portátil e sem fio. Ao ser colocado na ponta do dedo indicador da mão, o dispositivo capta os dados de saturação de oxigênio e a frequência cardíaca do paciente. Os dados são coletados em tempo real por um aplicativo de celular gratuito, disponível nas plataformas Android e IOS. O programa envia as informações para a nuvem e automaticamente para o painel de controle da equipe médica que está monitorando o paciente.

Ao constatar por meio do sistema uma queda na saturação de oxigênio – que é um dos principais indicadores do agravamento do quadro de Covid-19 e que também ocorre na apneia, em que há paradas respiratórias associadas à queda do nível de oxigênio no sangue –, a equipe médica entra em contato com o paciente ou seu acompanhante.

Se além da queda na saturação de oxigênio e da frequência cardíaca o paciente ou seu acompanhante relatar febre, aumento da dificuldade para respirar, tosse e fadiga – que são os principais sintomas da infecção pelo coronavírus são orientados a seguir rapidamente para um hospital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *